Péricles Rocha abre exposição com trabalhos inéditos em Alcântara, Maranhão

Artista Péricles Rocha

Meus Caminhos até Alcântara inaugura as novas salas de exposição temporária do Museu Histórico de Alcântara, vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus.

Natural de Codó, o pintor, escultor, desenhista e ilustrador é inspirado na cultura popular e nos ritmos nordestinos. O artista revela que amadureceu dentro de uma técnica muito pessoal, em que produz sua própria tinta, encontra a própria linguagem e mergulha no universo de sua realidade, tornando-se intérprete original de seu tempo e de sua gente. “São cores que eu trouxe do sertão. O ocre, o bege, o marrom das roupas dos vaqueiros, da nossa cultura sertaneja. São tons que eu trouxe para misturar”, diz o artista.

São apresentadas dez telas com impressões do artista sobre a cultura local como o recolhimento de esmolas da Santa Croa, o mastro do Mordomo Régio, os tambores de São Benedito, além de outros trabalhos dedicados à Alcântara. Residindo na cidade desde os anos 80, participa da vida cultural local, tendo sido Mordomo Régio em 1987 e Imperador em 1989 e 2001, na tradicional Festa do Divino Espírito Santo.

“Meus caminhos até Alcântara” é uma homenagem ao aniversário da cidade monumento que completa 374 anos no dia 22 de dezembro. A exposição inaugura ainda as salas de exposição temporária do Museu Histórico de Alcântara/Ibram, que passou por reforma e ampliação durante dois anos. A abertura será dia 20 de dezembro, na Praça da Matriz de Alcântara, às 19 horas e a entrada é gratuita.

 

Serviço

Abertura da exposição Meus Caminhos até Alcântara de Péricles Rocha

20 de dezembro, 19 horas

Museu Histórico de Alcântara/Ibram – Praça da Matriz, 07 – Alcântara, Maranhão

Instagram: @museuhistoricodealcantaraibram

 

 

 

(Com informações da Assessoria – Yuri Logrado)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos